segunda-feira, 24 de março de 2014

PodQuest #72: Feliz Ano Novo Atrasado

Estamos de volta! No primeiro episódio de 2014, Fernando, Rafa e Gilliard falam das novidades pessoais e profissionais, discutem os projetos que estão desenvolvendo no momento, bom como os games que estão jogando. Ah, e tem também um PodQuiz nessa edição!

Ouça diretamente no link a seguir:

PodQuest #72: Feliz Ano Novo Atrasado
(botão direito, depois "salvar como" para baixar)

Ou ainda, adicione o feed e tenha todos os episódios quando quiser!
http://feeds.feedburner.com/doublejump/podquest
No iTunes, vá em "Advanced - Subscribe to Podcast" e cole o endereço acima.

Ouça e comente! Se preferir, entre em contato por e-mail em contato@thepodquest.com ou pelo Twitter em @ThePodQuest.

32 comentários:

Kleber Barros disse...

já estava ficando assustado... Obrigado por continuarem postando esse podcast que pra min é o melhor podcast de games, desenvolvimento e quizes!

Gregório Benatti disse...

Uhull!! \o/

Welcome back!!

Wesley Bastos disse...

Aê voltou, finalmente, já tava sentindo falta de vocês.
Gostei pra caramba do episódio, de como funciona o Alpha nas empresas, etc...
Infelizmente Gilliard perdeu pontos de reputação comigo, por não ter conseguido apreciar TLoU, você estava no meu top de reputação com pontos bônus, por não gostar de Halo, mas agora desceu vertiginosamente (hahahahaha).
No mais gostei do episódio, e to doido pelo próximo.
E cuidado com essas operações no "olho", brincadeirinha. ahahaha

Flavio B de Paula disse...

Vida longa ao podquest!

Tiago Moraes disse...

Muito bom.
Toda segunda feira dava alguns pageviews na esperança da volta. Sim, sou das antigas e curto entrar no site ao invés de ser informado por redes sociais.

Sugestão de tema enquanto esta bem fresco:

UDK: U$19,00 mensais, Royalty: 5% da receita bruta vs
Cry Engine: U$9,99 por usuário, Royalty: free vs
Unity3D

Seria demais (y)

Wesley Bastos disse...

Bem seguindo a dica do Tiago, segue um email que tentei mandar pra você desde a semana passada, mas só ficava voltando (acho que é essa confusão de domínios do site), vamos lá:

Olá galera do PodQuest como vão? A galera já está sentindo falta dos episódios.

Bem terminamos mais uma GDC, e que GDC meus amigos. Acho que em 3 dias, houveram mais plottwists na industria de games do que nos últimos anos.
Foi a Unity 5 caminhando para tentar se tornar uma engine AAA.
O novo plano de assinatura da Unreal 4 e da CryEngine.
Ferramentas caríssimas como FMOD (para áudio), NDO, Wwise, etc... sendo oferecidas gratuitamente (com restrições de lucro, mas para indie vale e muito a pena).
Os novos dispositivos VR: Project Morpheus e o novo DeveloperKit do OculusRift.
A Sony e Microsoft se tornando mais abertas a indies.
A Sony compartilhando suas ferramentas e bibliotecas internas para quem quiser desenvolver para suas plataformas (isso gratis, disponíveis no Github).
Como disse, parece que em pouquíssimos dias toda a industria de desenvolvimento, sofreu uma grande revolução e pra melhor, principalmente para os indies, estudantes e os iniciantes. Agora mais do que nunca, só não faz um game quem não quer.
Então vai minha pergunta o que vocês acham disso?

O exemplo da Epic com a Unreal4 por exemplo que está ofertando um ferramenta poderosíssima, que antes só estava disponível para grandes estúdios (não estou contando a UDK), por um preço módico, além de oferecer junto o código fonte dela (o que na minha opinião, irá fazer com que bugs e new features sejam adicionadas mais rapidamente com a ajuda da comunidade), além da inclusão de uma marketplace (tal qual a Unity).
Ou seja agora aumentam as chances das pessoas entrarem na industria AAA, pois o acesso a essa ferramenta está mais fácil.

E não só isso como a própria CryTek que irá começar a oferecer a CryEngine por módicos 10 dólares (porém sem acesso ao fonte).

E a Unity, que das 3 era considerada a mais amigável, e agora esta tentando rumar para o mundo do AAA.
Será que a Epic viu a fatia grande que a Unity estava pegando e decidil rumar para esse caminho (junto com a CryTek)?
----------------------------
Outro ponto que gostaria de saber a opinião de vocês, é quanto as novas polêmicas de downgrade feitos nos jogos, como WatchDogs (bem esse ainda não foi lançado), DarkSoul2, Titanfall. Mas que foram exibidos com um grande enfoque nos gráficos e quando foram lançados (tirando WD) parece que sofreram um grande downgrade.
----------------------------
E a polêmica do Castlevania LOS2, dos desenvolvedores que estavam descontentes com o próprio desenvolvimento do jogo (alguns afirmaram que só ficaram sabendo de features que teriam que implementar, via reportagem em sites de games \o/).

No mais é isso, to doido pra saber o que vocês tem jogado ultimamente (alguém já pegou o MGS: GZ e/ou Infamous?).

Abraços e ficamos no aguardo do próximo episódios.
PS: Desculpem pelo email grande e bagunçado.

Marcos Carvalho disse...

Hahaha ri sobre o projeto não anunciado (Fifa, COD e AC são anúncios anuais certeiros);
Gilliard dando upgrade nos olhos (olhos elficos?) xD
Curti vocês explicando os estágios do jogo indo de Alpha para uma versão pos-alpha. Congelamento de features, etc...
O PodQuiz também foi bem bacana... Estão de parabéns pelo episódio.

E o que falar daquele encerramento, por mim votaria para ele ser o encerramento padrão dos episódios, perfeito, perfeito, kudos para o rapaz (esqueci o nome) que teve todo o trabalho, parabéns brother.

Kleber Barros disse...

Bem vindos de volta Gilliar, Seco, Rafa. Você são o mutivo pelo qual sonho em um dia criar jogos. Deve ser sensasional.

O PodQuest pra min é um podcast absoluto. Mais na minha opinão esse é mais um dos podcasts datados. Noooooooooosa, ulta-datado. Impossivel ouvir novamente no futuro.

Onde estão os temas? Muito rapido esse PodQuest...Sou do tipo de fã chato, gosto de temas epicos!

O que mais me agradou no PodQuest foram os temas tecnicos sobre as empresas, modos de trabalhar, tecnologias, dicas da industria . Para ouvir apenas noticias tem ai as redes sociais e portais especializados.

Não sou desenvolvedor de jogos (ainda) mais gosto de saber mesmo de frameworks vocês estão usando/testando, que sites de tecnologia, livros tecnicos, avaliações com sabor mais profissional de desenvolvedores.

Sou Orfão do DobleJump... Comecei a ouvi-lo quando já havia terminado, mais adorava as series de profissões relacionadas ao desenvolvimento de games. Acredito que com seus conhecimentos poderiam entrevistar mais pessoas pra compartilhar a visão por tras da criação dos jogos.

Sou um progamador iniciante (ainda). Mais gosto de ouvir ate que tipo de linguagem ou espeficações tecnicas dos consoles.

Kleber Barros disse...

Sou do tipo que não tem medo de ensianar o que sei ou aprender o que não sei (ainda). Gostaria de sugerir temas dos quais tenho curiosidade mais tenho medo de pesquisar por conta propria, por que gosto de ter a opnião de auguem que saiba o que esta falando.

-Open-source na industria de games existe?

-Qual a diferença principal entre XboxOne e PS4? sei que esse mundo de hardware pode confundir bastante, pelo que ando acompanhando o PS4 é mais forte?

-Dicas para começar um jogo do zero

-Dicas de outros podcasts, mesmo que seja em ingles.

-Dicas de ingles no mundo dos games pra quem quer começar a ler augo sobre desenvolvimento de jogos

-Augum lugar na internet onde os iniciante podem entrontrar codigos interresantes pra ler

-Os primeiro jogos que vocês fizeram sozinhos

-Foruns que vcs participão

Serio, me desculpem os ouvintes que não apreçião essa parte mais tecnica, mas, quando você olha para uma frase escrito "podcast sobre desenvolvimento de games com profissionais da industria internacional" isso é o minimo que eu esperava. Só pra ouvir opinão de jogadores, la no PodFlix tem dezenas de podcast e mais surgindo sempre. Amo o PodQuest dos bastidores da industria.

Bruno disse...

Olha aí, até pra brasileiro fora do país o ano só começa depois do carnaval!

ZUERAS a parte, é muito bom ouvir vocês de novo. Parabéns pelo ótimo trabalho, as always.

Abraços!

Diego Barboza disse...

Aeee, voltou no dia do meu aniversário! Não precisava pessoal, não precisava :p

Wesley Bastos disse...

Agora mais do que nunca, to curioso pra saber a opnião de vocês com relação ao FaceBook ter comprado a Ocullus.
Poderia abrir uma excessão e nessa próxima semana rolar um episódio direto do PodQuest (e assim o QuickQuest ficaria somente pra outra semana). Abraços.

Wesley Bastos disse...

Agora mais do que nunca, to curioso pra saber a opnião de vocês com relação ao FaceBook ter comprado a Ocullus.
Poderia abrir uma excessão e nessa próxima semana rolar um episódio direto do PodQuest (e assim o QuickQuest ficaria somente pra outra semana). Abraços.

WAR36 disse...

muito bom... fez falta

Hiro disse...

Um jogo que talvez marcasse uma entrada na nova geração é o Ryse. Ele é tão memorável quanto um pão dormido, mas é tecnicamente bem interessante.

Keep the good work.

William Sousa disse...

eu tenho uma enorme dúvida: eu tenho vontade de desenvolver games, eu vou fazer graduação em design mas não tem pós na área de game. eis minha pergunta: eu posso fazer graduação e ainda assim fazer um curso de games?

William Sousa disse...

eu tenho uma enorme dúvida: eu tenho vontade de desenvolver games, eu vou fazer graduação em design mas não tem pós na área de game. eis minha pergunta: eu posso fazer graduação e ainda assim fazer um curso de games?

Anderson Cardoso disse...

pô Gilliard tem como pelo amor do que há de mais sagrado abaixar o volume dessas musicas do Chrono Trigger?? já deu no saco essa trilha cara por favor vai!!

Kleber Barros disse...

Que isso pow, a musiquinha do Chrono trigger é a classica. Se baixar o volume não pode. Ha não ser que esse substitua pela do Sonic ou Alex Kid, ai ta sussa.

Anderson Cardoso disse...

Não cara na moral eu respeito quem gosta dessa trilha mas está muito alta, e repetitiva. eu sei que o Giiliard não tem tempo e saco pra editar os casts mas pô ta chato demais véi..fora que a qualidade do áudio deles nunca melhora.

Kleber Barros disse...

Compra uma placa de audio profissional e uns microfones de estudio e manda pra eles no canada, só pra gravar um podcast uma vez ou duas por mês kkk
E nada, o Giiliard tem tempo, só que assim fica mais classe.

P.s. Que podcasts vc anda ouvindo com essa qualidade toda, Anderson? Quer comparar com Jovem Nerd e Radiofobia que dão palestra de podcast? Eu ouviria ate se fosse gravado no celular (como já ouvi outros podcasts...). Acho a qualidade bem acima da media, só falta gravar mais episodios. PodQuest semanal!

Anderson Cardoso disse...

Não vou mandar absolutamente nada é só minha opinião sobre o podquest que tem um ótimo conteúdo e peca por algo mais básico que é o áudio.

Nossa, seu parâmetro é JC e Radiofobia??!! essa conversa termina aqui meu filho.

Kleber Barros disse...

Ei, você ja ouviu radio de verdade? ligue um Fm e veja se a qualidade do audio é melhor... JN e Radiofobia são parametros de comparação em qualidade de audio, ambos usam equipamento profissional e ganham dinheiro com a "midia podcast".

Por que ao inves questionar a qualidade do audio deles, você não pensa como eu penso? Vou dizer como eu penso: -Eu ouço um podcast sobre desenvolvedores de games. Não tem nenhum tecnico de som ou Dj profissional na equipe! eu já ouvi pessimos podcast com otima qualidade de audio, mas eu sei SINCERAMENTE que equipamentos de som são caros e complexo de usar.

espero que o Giiliard não enterprete mal essa nossa discussão. Sou louco pelo PodQuest e ouviria mesmo que todos os participantes usassem os celulares para gravar via Skype com uma internet 3G da tim. Serio, não reparo os detalhes sem sentido. São por esses detalhes que existem poucos podcasts bons. Porque as pessoias tem medo de criticas e esquecem que um conteudo bom é melhor que qualquer coisa com uma qualidade Profissional de Gravação e Captação de Audio Digital.

.............

P.s. A vinheta do Chrono faz parte da identidade do podcast, não faz sentido mudar e se auguem acha o contrario é porque nunca terminou o jogo epico, em questão, que, possivelmente, é uma inspiração para continuarmos esperançosos nessa maravilhosa midia dos games que tanto amamos.


um abraço,
Kleber Barros

Wallacy Wagner disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sapulha Sahra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sapulha Sahra disse...

Fico admirado com o Fernando Secco gostando do Killzone, sendo que esse jogo é apenas um Halo wannabe!

Fernando Secco disse...

Nossa cara, qual Killzone voce jogou, so para eu saber?

Rafael Kuhnen disse...

Ish... pisou no calo...

Kleptos disse...

Devo concordar com o Gilliard quanto ao The Last of Us. Mas ao contrário dele, eu gostei do jogo.

O início é formidável, tanto a jogabilade quanto a história. Mas quando passamos do prólogo o jogo começa a moldar o ritmo que vai se manter até perto do fechamento. Sempre temos que "ir até algum lugar e encontrar alguém que supostamente vai nos ajudar", mas nunca encontramos. E no meio dessas missões obviamente existem vários inimigos. Não teria nenhum problema, se não fosse extremamente repetitivo.

Muitos vão dizer: "Jogos são assim mesmo, repetem as mesmas mecânicas o tempo todo". Claro, mas usar as mesmas mecânicas da MESMA FORMA é completamente diferente de simplesmente utilizar as mecânicas. Isso é um grande problema no design do jogo, já que eles não conseguem utilizar essas mecânicas de diferentes formas. Eu sei que a ideia é deixar o jogador pensar nas próprias estratégias, mas para isso ficar realmente interessante é preciso que o jogo faça o jogador lidar com vários tipos de situações. E isso ocorre muito pouco durante grande parte do jogo.

A história segue o mesmo ritmo. O desenvolvimento é bastante lento, e algumas cenas que deveriam ser mais impactantes não conseguem alcançar a reação esperada por não fazer o jogador criar laços com os outros personagens, sendo que alguns deles até ficam um bom tempo no grupo.

Por conta disso tudo, eu estava realmente decepcionado com o jogo enquanto jogava. Mas eu queria entender o porquê todos adoravam esse jogo, e isso não seria apenas pelos seus gráficos, ambientação e prólogo excelentes. Ele ainda precisava desenvolver dois pontos fundamentais: jogabilidade e história. E isso foi feito.

É uma pena que toda essa reviravolta só aconteça perto do final, digamos que nos últimos 30% do jogo. E são esses 30% que conseguem unir a jogabilidade e a história coms os outros elementos do jogo, tornando ele excelente.

Então para quem estiver jogando e não ter gostado muito do que viu. Esperem até chegar na parte da universidade.

Francisco Fontes disse...

Boa tarde. Parabéns mais uma vez, mesmo sem um tema específico, é ótimo ouvir vocês novamente.

Com relação a gerência de configuração com os versionamentos foi bem interessante.

Uma pergunta pra vcs, na verdade são várias perguntas, acho que seira mais pro Secco, mas seria interessante saber de todos vcs. Como é feita na empresa de vocês a questão da reutilização de componentes? Existe uma pagina local com informações das classes e bibliotecas para que não seja reinventada a roda? Como é feita a comunicação entre um programador de uma área com a de outra para integração e etc? É apenas um arquiteto de software para todo o jogo?

Desculpem a saraivada de perguntas, como são empresas grandes e nunca tive a experiência em uma, fico curioso de saber.

Obrigado desde já.

Andre Nunes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Andre Nunes disse...

Que bom que vcs voltaram. Um ótimo podcast em português com um ótimo conteúdo relacionado a desenvolvedoras AAA! Quem melhor do que pessoas que trabalham nestas empresas para compartilharem conhecimento e experiências com o pessoal que está apenas começando na área?
Ah, acho que o Gilliard vai mencionar em um futuro podcast, mas já vale deixar aqui registrado a entrevista que ele deu pro Bruno Cicanci do site "Game Developer"
http://gamedeveloper.com.br/blog/2014/04/01/entrevista-gilliard-lopes-produtor-fifa-ea-parte1/