segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

PodQuest #35: Retrospectiva e Jogo do Ano 2011

No último PodQuest de 2011, o trio de desenvolvedores faz uma retrospectiva do ano e discute as notícias mais relevantes para a indústria e o mercado nesses últimos doze meses. Eles comentam também sobre os 15 melhores jogos do ano e elegem, no final, o Jogo do Ano 2011 do PodQuest.


Ouça diretamente no player abaixo:



Ou no link a seguir:

PodQuest #35: Retrospectiva e Jogo do Ano 2011
(botão direito, depois "salvar como" para baixar)

Ou ainda, adicione o feed e tenha todos os episódios quando quiser!
http://feeds.feedburner.com/doublejump/podquest
No iTunes, vá em "Advanced - Subscribe to Podcast" e cole o endereço acima.

Ouça e comente! Se preferir, entre em contato por e-mail em contato@thepodquest.com ou pelo Twitter em @ThePodQuest.

17 comentários:

Marcelo Martins disse...

Pessoal,

Muito grato pelo último PodQuest do ano. Esse bateu o recorde de duração.

Rafael, excelente ideia do gestos no jogo militar. Realmente seria legal ter uma feature dessa. Eu ficaria empolgado e interessado em jogar um FPS com essa feature.

Sobre o 3DS, comprei o combo com Mario, mas, como vocês falaram também fico ainda meio preocupado com a revisão do Hardware. Será que eles não vão lançar uma versão revisada com o outro analógico, como o que será lançado com o Resident Evil?

Sobre o jogo do ano, se eu fosse chutar um, chutaria exatamente esse que vocês escolheram. Que obviamente não vou falar aqui para não dar spoiler para quem não ouviu o programa.

A minha sensação é que a cada ano fica mais difícil escolher um único jogo. Todos os 15 jogos que vocês selecionaram são maravilhosos e cada um deles oferece uma experiência sensacional. Só que cada um do seu jeito.

Até mesmo se a gente fosse tentar separar por “gêneros”, fica difícil! Hoje em dia, alguns jogos são tão sofisticados que é difícil definir um apenas um gênero por jogo. Batman, Skyrim e Zelda, todos são “Ação/aventura com elementos de RPG”, só que são jogos absurdamente diferentes.

No fim, esses 15 jogos vão engordar a lista de “to play” que já tenho. São todos jogos maravilhosos, que devem ser jogados por todo mundo que curte videogames. 2011 certamente foi um ano incrível para nós!

Vinicius Lopes disse...

Ola turma!

Olha, concordo com vcs em praticamente tudo, ainda mais com a exclusão das 2 maiores porcarias lançadas este ano (Battlefield e MW3) mas uma coisa, apesar de eu não descordar da decisão, me chateou muito.

Eu tive MUITOS problemas com bugs com Skyrim, e o pior, todos em main quests. Acho que se faltou algo pra se falar, foi isso. Mas conversando com algumas pessoas nem todos tiveram os mesmo problemas então acho que só esse fator não merece tirar o título de jogo do ano de skyrim.

Parabens por esse ano e boas férias!

Ah, com ctz vou citar voces em um possível podcast que farei em breve!

Abraços

Fabiano Pimenta disse...

Realmente foi corajoso vocês excluírem os dois blockbusters deste ano. Big cojones, guys.

Talvez se eles tivessem saído no ano passado ou se tivessem feito menos hype, as pessoas até teriam perdoado a falta de inovação ou as campanhas tão sem graça. Mas não dá pra levar jogos como o Battlefield 3 e o Modern Warfare 3 a sério depois de jogar Deus EX, Batman: Arkham City e Dark Souls, na sequência, como foi o meu caso este ano. A gente acaba ficando um pouco mimado mesmo.

Bem, não joguei Skyrim ainda. Este aí vai ter que ficar pro ano que vem.

2011 foi um ano muito bacana pro PodQuest. Apesar de não acompanhá-lo antes, o podcast amadureceu muito ao longo do ano e se tornou independente. O conteúdo do site está um desbunde absurdo. Sensacional!

Curtam as férias, divirtam-se, bebam seus bons drink e até o ano que vem!

Abraços!

Gilliard Lopes disse...

Obrigado pelos comentários, pessoal!

@Marcelo Muito obrigado pela participação este ano aqui no site. E você tem razão: está cada vez mais difícil escolher o melhor jogo do ano. Dessa vez a gente nem quis fazer por categorias mesmo em parte pelos motivos que você citou.

Ah, e as idéias do Rafa são sempre muito boas mesmo! Acho que ele teria futuro como game designer se não fosse tão vagabundo...

Alô @Vinicius, obrigado também pela ajuda o ano todo, quero saber mais sobre esse novo podcast hein.

Sobre o bugs do Skyrim, realmente devíamos ter falado sobre eles, mas talvez não tenhamos sido tão afetados por esses problemas, em parte talvez por estarmos jogando nos consoles e não no PC. Até onde pesquisei, a versão para computador é de longe a mais bugada. É claro que a gente não acha bonito que game nenhum tenha bugs, mas de qualquer forma não acho que mudaria a nossa opinião sobre o jogo no final das contas.

@Fabiano Obrigado também por comentar sempre, Fabiano. Aliás, não terminamos a nossa famigerada briga no Mortal Kombat 9, e agora eu já até vendi o jogo... No Soul Calibur 5 a gente se fala :p

O nome do corajoso é Fernando "souvelhomasaindadoucaldo" Secco, ele é o nosso especialista em shooters e nós apenas apoiamos a decisão dele.

Abração, obrigado pelos elogios e boas festas!

Fernando Secco disse...

Opa, valeu pelos comentários :)

@Vinicius
então cara, eu acredito que o MW3/BF3 são jogos divertidos mas nem perto da qualidade esperada para jogos do ano.
Por exemplo, MW não inovou em nada nos últimos anos, não é necessariamente ruim, mas jogo do ano não tem que ser apenas divertido. Se fosse, então Shadows of the Dammed deveria estar no topo da lista :). Já o BF3, eu esperava muito desse jogo. Acredito que o pessoal da DICE é muito bom em fazer shooters e o BF3 é competente em muitas coisas (como falei várias vezes durante os últimos PQs) o problema que eu sinto é que ele é muita falta de originalidade e problemas de balancing. Mas o jogo do ano não pode ser apenas polido, senão o Crysis2 deveria na lista, assim como Tin-Tin que, apesar de ser jogo para pessoas mais novas (que nem o rafa), a apresentação dele é super bem feita, mas é super fácil e repetitivo.

Para finalizar no MW/BF. Devo ressaltar que ambos são sucessos de vendas e títulos muito bem polidos. Quem comprar tem uma chance muito grande de se divertir.

Resumindo, tentamos colocar na lista, jogos que nos deram as melhores experiências durante o ano .




@Fabiano,@Gilliard

ahahah sou velho mais sou duro na queda :P. Vocês sabem que sou apaixonado por shooters e se MW/BF fossem realmente inspiradores, eu nem pestanejaria em falar o quanto eles merecem ser jogo do ano. Jogo do ano é aquele que me faz pensar
nele durante o dia!


@Marcelo
Já terminou o DX3? :P

Fernando Kirch disse...

Olá pessoal,

Concordo com a maioria do que foi dito, só acrescentando uns elogios para o Bastion.

Tive 16 horas de jogo, virei 2 vezes. Além do que já foi falado, a maneira que a história é contada é muito bem feito, a história vai sendo contada através dos levels, com pouco texto, pelos itens que você vai encontrando, e principalmente pelo narrador (que as vezes também fica sacaneando o jogador!). O áudio do jogo é sensacional, as músicas realmente te ajudam a entrar no mood do jogo. Além disso o jogo tem diversas features bem resolvidas como a dificuldade do jogo, ao invés de no início ser escolhido a dificuldade e ficar "escrito em pedra" para o resto do jogo, o sistema de dificuldade é dinâmico, o jogador pode ajustar no shrine, invocando mais deuses, se o jogador achar que consegue enfrentar o jogo com uma maior dificuldade ele pode adicionar skills para os inimigos, tipo mais velocidade, mais dano, etc ... e ganha mais XP por fazer isso, achei isso muito legal. Não é pra jogo do ano, mas achei um ótimo exemplo de um jogo feito por uma equipe pequena focando nas coisas certas e dando certo.

Era isso, bom feliz de ano e festas pra todos :D e tomara que o PodQuest continue em 2012!

Marcelo Martins disse...

@ Gilliard - Eu que agradeço a você, Sandro e todos pela oportunidade! O conteúdo desse site é inspirador. 2012 está logo aí pra tornar o ThePodQuest ainda mais legal.

@ Fernando Kirch - Fiquei muito curioso com esse jogo, por tudo que foi falado. Ele também ganhou o prêmio de melhor trilha sonora no VGA desse ano. Para mim, se tornou jogo obrigatório.

@ Secco - Terminei Deus EX no fim de semana passado! ;) Achei animal. Concordo com tudo que vocês disseram no programa dedicado ao jogo. O último chefe é animal...

Meu lar agora é Skyloft.

Fernando Secco disse...

*alguems* que concordam comigo :)

http://www.gamespot.com/video/military-shooter-genre-fatigue-6347058

Vinicius Lopes disse...

@Gilliard É, como eu disse, parece que poucas pessoas tiveram tantos problemas quanto eu, mas Skyrim é muito competente em todo o resto. Ainda mais que a versão PC ainda tem o console pra quebrar um galho. Então isso não afeta nem a minha escolha como o jogo do ano,hehe.

@Secco Eu ainda não pude jogar battlefield 3 mas o MW3 pra mim é a mesma coisa que o MW1 e 2 com novas fazes. Não mudou praticamente NADA. Acho totalmente dispensável.
De gráficos bonitos tem uma porrada de jogo pra entrar na lista, por isso também acho que BF3 não se garante só com isso.

Na minha opinião Brink ou TF2 ainda são os melhores Fps coop.

Abraço a todos!

Anônimo disse...

Eu juro que não sei pq tanta gente paga pau pra Skyrim, joguei e não achei nada demais, a turma não pode ver um mundo aberto e fica tudo doido. Muito fácil fazer salas e corredores, corredores e salas. Ou mundos abertos com nada interessante de verdade para ver. To jogando agora Dark Souls e é um milhão de vezes melhor!!!

Anônimo disse...

Na hora que fiz o comentário à cima não escutado ainda a parte de o Secco elegeu o Dark Souls o melhor jogo do ano! Te amo cara!!!

Marcelo Martins disse...

Pelo jeito vocês não são os únicos que deixam MW3 de fora da lista:

http://www.gamespot.com/best-of-2011-awards/genre-awards/index.html?page=7

Gilliard Lopes disse...

Alô Sr. Anônimo, respeitamos a tua opinião, mas um mundo aberto "com nada interessante de verdade para ver" não poderia ser mais distante da verdade no caso do Skyrim.

Eu não sou fã de mundo aberto por si só (joguei GTAs por obrigação e não curti, nem joguei RDR apesar da qualidade anunciada), e não é por isso que eu gostei de Skyrim. Mas acho normal que as pessoas não curtam e tenham opiniões diferentes.

Só não cabe dizer que somos fanboys de mundo aberto, pois se você ouvir com atenção os 3 últimos episódios vai encontrar várias virtudes que a gente citou sobre o jogo que não têm a ver com isso.

Dark Souls kicks ass indeed, e sobre amar o Secco, todos nós amamos! Ele é a father figure do PodQuest, o Sr. Miyagi do desenvolvimento de games brasileiro.

Anônimo disse...

Olá Gilliard Lopes, desculpa aí, não quis deixar a impressão que eu acho que vocês são fanboys de skyruim, é que esses dias na internet, em tudo quanto é site de games, a gente só ouve falar desse jogo! Mas tanta gente não pode estar errada, acho que o problema é comigo mesmo, só achei que Dark Souls foi meio injustiçado.
Flw!
Amo você e o Rafael também.
Só pra constar, eu sou hétero hein!

Fernando Secco disse...

@Anônimo
pô, valeu cara, amor de anônimo é sempre mais intrigante :).

Eu juro que eu achava que muita gente iria se ofender e me criticar por chutar o MW3 e criticar seriamente o BF3.

food for thoughts...

Troquei hoje de manhã meu MW3, não tem jeito, não consigo gostar ou me envolver de maneira alguma.

No BF3, sempre fico pensando... modo conquest 64 caras ou rush 64 caras... não tem espaço para chocking points aonde o pessoal fica brincando de se *bazucar*, tem momentos que o jogo é super envolvente... mas ai chega o momento do meu descontentamento aonde ele pinta na sua cara, - Isso é um jogo com XP e unlocks! Eu, deitado no arbusto no acampamento, me escondendo feliz da vida, 6 caras dão spawn e passam por mim, não me vendo, adrenalina sobe, vou capturar de baixo do nariz deles... e ai , do nada, sou morto por um tanque... como? ele tem INFRARED VISION WITH ZOOM OPTICS!! L331! como se já não bastasse ser chato matar tanque, agora você não pode mais ter momentos épicos como deitar no arbusto para se esconder!
de alguma forma, as coisas mais simples dos shooters são perdidas, como poder se esconder!?

Sempre amei guerra moderna, mesmo antes dela ser popular, mas antes de tudo, sempre amei diversão em FPSs.

No R6 - Raven Shild... você tinha heart beater detector, que mostrava aonde o inimigo tava, mas você tinha como usar um equipamento para simular heart beat e fazer armadilhas...

Talvez até tenha algo parecido no BF3... mas quantos levels, quantas horas eu devo me frustrar para poder pegar esse unlock?


heheh Valeu ia, eu queria só compartilhar um pouco e provocar, vê se alguém ai me xinga :)

@flafontes / Live: FontesBR disse...

Agora que achei "o" Thepodquest vou dedicar algum tempo a companhia de vocês.
Concordo com muita coisa que foi dita sobre os jogos de 2011 e vejo que as opiniões são respeitadas, apesar de a maioria estar bem "cúmplice".
Ainda não assisti o vídeo (vou ver agora), mas o que vcs acham (acharam) de "Catherine"? Na sua categoria, lógico, como quebra-cabeça (e até outras, talvez?) foi um jogo que me fez dar muita atenção a ele, principalmente pq ao zerá-lo liberamos o modo "vs" para jogar contra os amigos.
Abraços e feliz 2012... e que eu seja bem- vindo!

@flafontes / FontesBR disse...

Escutei "o vídeo" (não tinha me ligado que era apenas áudio) e continuo parabenizando-os pelo valor dado aos games em todos os sentidos (e se VOCÊS não dessem quem iria dar?).
Só deixo aqui uma opinião em relação ao Kinect. Muitos dos jogos são sim excelente diversão para a família e para grupos (jogo bastante com casais amigos nosso e é páreo duro entre: Kinect, Imagem & Ação ou Pôquer). Destaco ainda os jogos de dança (Dance Central 2), jogos de esportes (Kinect Sports - principalmente vôlei e golfe) e o Your Shape Fitness que dá para levar um treino a sério e, como já disse, se divertir competindo com a turma.
Porém, concordo que não faz nem cosquinhas, financeiramente falando, nos jogos (franquias) da lista dos 15 melhores do ano. Mas não acho que deva ser encarado como frustração.
Abraços a todos que fazem o Podquest.