segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

PodQuest #36: Dois Meses Depois...

No primeiro episódio de 2012, Fernando, Gilliard e Rafael colocam a conversa em dia, discutindo tudo o que aconteceu nas suas carreiras nessas dois meses em que ficaram de férias do podcast. Eles opinam também sobre a nova revista da AciGames, a entrevista do Brian Reynolds na Gamasutra sobre plágio nos games, e muito mais.

Links:


Ouça diretamente no player abaixo:



Ou no link a seguir:

PodQuest #36: Dois Meses Depois...
(botão direito, depois "salvar como" para baixar)

Ou ainda, adicione o feed e tenha todos os episódios quando quiser!
http://feeds.feedburner.com/doublejump/podquest
No iTunes, vá em "Advanced - Subscribe to Podcast" e cole o endereço acima.

Ouça e comente! Se preferir, entre em contato por e-mail em contato@thepodquest.com ou pelo Twitter em @ThePodQuest.

13 comentários:

Marcelo Martins disse...

Pessoal,

Parabéns por mais um PodQuest informativo, interessante, relevante e audacioso.

Sobre Super Mario 3D Land @ Gilliard

O Super Mario 3D Land vai ficar difícil com o tempo. Não é tão difícil quanto as fases mais absurdas de Super Mario Galaxy, mas é mais difícil do que o estágio que você está agora. É massa.

Sobre o PodQuiz

Achei a ideia animal e muito divertida. Porque vocês não criam também um versão do quiz para os usuários responderem aqui nos comentários? Aí vocês podem dar prêmios também.

@ Rafael

Meus parabéns pelo novo trabalho e aguardo ansiosamente o lançamento do novo Homem-aranha. Tenho certeza que você vai fazer um excelente trabalho. Quando a gente une paixão com profissão, o resultado é espetacular.


@ Secco

Espero que você possa falar mais sobre o seu novo projeto em breve! Estou torcendo muito pra que os novos jogos da Eidos Montréal sejam um sucesso e ajudem a tornar o estúdio cada vez mais forte.


Sobre Inovação X Games

Como o Gilliard falou, a inovação nessa indústria é algo fundamental e necessário. Nós somos os responsáveis por tornar os jogos melhores e isso requer coragem! Achar o balanço entre inovação/investimento talvez seja o maior desafio dessa indústria.

Os independentes têm uma abordagem diferente em relação à inovação. Eles podem inovar mais, correndo menor risco de entrar em colapso financeiro. Em contrapartida, os grandes têm mais recursos e tecnologia.

Um pode aprender com o outro. Os AAA podem desenvolver se "inspirar" nas ideias inovadoras de maneira sustentável e melhorar suas franquias. Já os independentes podem aprender a administrar os seus recursos para se tornarem mais viáveis do ponto de vista financeiro.

Felipe Augusto "felipowsky" disse...

Fala, pessoal. Feliz 2012 e sucesso a todos. ;)

Primeiramente não sou contra nenhum tipo de tentativa pra auxiliar o mercado de games no Brasil e acredito que ações como o Jogo Justo, apesar de não ajudarem diretamente os desenvolvedores de jogos, mostram ao governo brasileiro que existe um grande número de consumidores, sendo interessante tornar este mercado mais acessível a todos.

Porém, não sou a favor de transformar o Brasil apenas num mercado consumidor. O que precisamos é de conteúdo com alta qualidade para competir igualmente no âmbito global.
Desta forma, reforço o ponto de vocês em relação a péssima qualidade das ações secundárias da ACIGAMES como a revista digital e o podcast (cujo único episódio foi lançado em 18 de fevereiro de 2011) que podem ser vistos apenas como materiais para autopromoção, não cumprindo com o primeiro objetivo da associação de fomentar discussão sobre o papel dos jogos na sociedade.

Como nos sentimos ofendidos com essas ações, pois não é desta maneira que queremos que o Brasil seja visto pelo mundo, o que podemos fazer é entrar em contato com a ACIGAMES expressando, de maneira clara, objetiva e construtiva, os pontos que acreditamos estarem errados para auxiliar nos projetos futuros.

Se forem uma associação realmente séria, irão ouvir. Espero que outras pessoas também façam o mesmo.

Abraço.

Flavio disse...

Fala pessoal
Valeu por mais um podquest, estava com saudade de ouvir vocês.

Só queria pedir que dessem uma arrumada no microfone do Secco. Tá muito mais abafado e baixo do que os outros.

Um bom ano de 2012 pra vocês.
Abraços!

Marcos disse...

Opa galera, tudo bem?

Que bom que vocês voltaram e com um ótimo episódio, e para falar a verdade, as piadinhas de vocês durante a conversa, dão um novo tom ao podcast, destacando-o dos demais. Acho isso sensacional, vocês conseguem brincar e ainda assim manter o rumo do assunto. Estão de parabéns.

Desejo sucesso a todos, e fico no aguardo do novo projeto do Secco, pois se no Deus Ex ele arrebentou, esse novo projeto então nem se fala.
Ao Rafael, cara boa sorte no novo emprego, depois da sua história, me deu mais animo para continuar nessa caminhada na indústria de games.
E ao Gilliard, fico no aguardo do Fifa 13 e a idéia do PodQuiz foi uma boa sacada. Melhor ainda são as tentativas de piadas com o Rafa. Espero ancioso novas discurssões interessantes para os próximos episódios (Uma sugestão, falar sobre os games que vocês acham clássicos, como você mesmo citaram Castle of Illusion, Alex Kid, etc...).

No mais, só tenho a agradecer a vocês 3 por este maravilhoso podcast, são de caras assim que a industria de games precisa, pois a cada episódio, minha vontade de ir mais a fundo na área de desenvolvimento de games cresce, mesmo não tendo muita experiência na área (poucos jogos feitos), tenho a esperança de um dia ao patamar minimo que vocês chegaram. Parabéns PodQuesters.

Diego Barboza disse...

Muito bom o cast. Tava fazendo falta :)

Só uma coisa: Secco, manda ai seu endereço pra galera fazer uma vaquinha e te dar um microfone novo que teu som tava foda! Hehehe

Sobre a revista da Acigames, eu só dei uma olhada por alto e achei a apresentação bem tosca. Mas confesso que não li, então não vou opinar.

Uma coisa curiosa, no entanto, é como eles estão abordando a publicação. Eu ouvi em um outro podcast (Audiotronik, pra quem se interessar) que no evento onde a revista foi lançada havia um media kit que já incluía coisas como tiragem (de uma revista digital ¬¬) e perfil dos leitores (na primeira edição?!). Então dá pra sentir o profissionalismo, não?

Cutia - Gustavo disse...

Opa galera,
Pô, antes de mais nada, mando-lhes meu abraço.
Feliz entrada de ano e tudo mais.
Fiquei supresso, o ano nem começou e já voltaram?
É que fora do Brasil as coisas funcionam antes do carnaval, né?! Rs

Tolices aparte, Achei legal o a brincadeira... E ainda mais sobre os vegetais! Rs

Mas falando de coisa séria, da revista da ACIGAMES.
Em minha faculdade, esporadicamente, o Moacir Alves aparece para uma palestra.
Sempre a mesma figura. Sorriso no rosto e voz amigável.

Sempre nos conta de suas viagens, e de como ele tem unido forças para alavancar a cultura gamer aqui no brasil.
Não defendo a opinião dele sobre o Prince da Pérsia, mas creio saber o por que disso.
A ACIGAMES quer vender a ideia de que o conteúdo dos jogos, pode ser usado de maneira saudável.
Onde as crianças possam aprender. Não jogar por jogar. Aquele papo do Games For Change.

O mesmo ‘conteúdo’ é dito em suas palestrar, que o Governo quer um jogo onde a criança possa aprender de forma lúdica a matemática.
Possam aprender sobre a sociedade e outras coisas mais.

Acho uma conversa sem muita sustentação, não discordo dele, seria interessante ter este mercado aqui.
Mas creio que este mesmo discurso, bata de frente com as industrias AAA. Afinal o , suposto, ideal da ACIGAMES não gera muita grana...

Por isso creio que, quando ele disse que os jogos não evoluíram, ele disse neste âmbito.

Eu discordo disto, gosto de mitologia devido ao jogos e livros.

As vezes temos que isso seja apenas um jogo de egos... mas o que neste mundo não o é?!

Cutia - Gustavo disse...

Outra coisa...
Acho que seria legal vocês comentarem sobre features que evoluíram com o tempo... Como o Z-target e outras coisas.

Anônimo disse...

Eita poxa, voltaram, agora minha vida está completa!!!

Vomitando Arco-iris!!!

Fernando Secco disse...

E ai pessoal, valeu pelos comentarios :D.

Bem, sobre o meu maldito microfone...
desculpem mesmo, eu tava no laptop naquele dia e nao no meu PC, acho que o som do laptop tem a duken nukem forever das placas de som. Quando eu for usar eu vou testar antes.

Espero poder comentar das novidades em breve, acho que Rafael, Gilliard e eu temos bastante coisas para falar, dava para fazer um podquest de 80 horas.

Sobre o quiz para a galera participar eh uma ideia interessante, so nao sabemos quanta atencao a gente conseque dar para o forum... vamos ver... quem sabe no proximo eu faco um quiz...

Desculpem a falta de acentos, teclado frances nao facilita nada :)

*run for the optics! for the optics!*

@flafontes / FontesBr disse...

Ainda não ouvi este último podquest mas acabei de baixar... vcs tem algo específico para Android?
Comentei o último podquest de 2011 e citei Catherine e o Kinect, se vcs pudessem me responder eu ficarei muito lisonjeado.
Abs.

@flafontes / FontesBR disse...

Putz, perdi tudo que estava escrevendo e tô no celular... Já ouvi o Podquest e depois comento via PC.
Por enquanto vai mais uma vez meu voto de sucesso para vocês 3 (e equipes) e o agradecimento pelo trabalho de vocês aqui e naquilo que deixa a nossa vida mais... "fictícia".
Abs.

Gilliard Lopes disse...

Oi @flafontes, obrigado por ouvir e comentar! Não posso falar sobre o Catherine pois não joguei, se alguém por aí jogou deixe um comentário.

Quanto ao Kinect, concordo em parte com o que você disse, acho que os games que você citou são realmente divertidos, mas a promessa do Kinect era muito maior. O acessório foi divulgado como a próxima revolução dos games, mas acabou se resumindo a umas 2 ou 3 mecânicas bem específicas (ex. dança).

@flafontes disse...

Blza Gilliard!
Sobre o Kinnect, agora entendi melhor o ponto de vista e realmente concordo, se a proposta era ser ultrasuperpowerblaster deu #fail pois realmente não é.
Quanto ao Katherine, #ficadica.
Abs.