segunda-feira, 9 de abril de 2012

PodQuest #40: Apocalipse dos Games

No histórico quadragésimo episódio, Fernando, Rafael e Gilliard discutem as diferentes teorias da conspiração que volta e meia aparecem para declarar o fim dos videogames como nós conhecemos. MMOs, jogos sociais, Apple: será que o mercado de games de hoje estará obsoleto daqui a apenas alguns anos? Ouça e descubra o que acham os PodQuesters!


Links:


Ouça no link a seguir:

PodQuest #40: Apocalipse dos Games
(botão direito, depois "salvar como" para baixar)

Ou ainda, adicione o feed e tenha todos os episódios quando quiser!
http://feeds.feedburner.com/doublejump/podquest
No iTunes, vá em "Advanced - Subscribe to Podcast" e cole o endereço acima.

Ouça e comente! Se preferir, entre em contato por e-mail em contato@thepodquest.com ou pelo Twitter em @ThePodQuest.

7 comentários:

Fernando Kirch disse...

eae pessoal,

Os episódios tipo o de hoje que vocês discutem sobre a indústria são os mais legais.

Longa vida ao PodQuest.

Marcelo Martins disse...

Pessoal,

Excelente episódio! O PodQuest está ficando melhor a cada edição.

Queria parabenizar a Cíntia pela seleção musical. Rammstein no final foi épico. Acho que é uma das bandas mais impressionantes do mundo. O show é inacreditável.

Sobre o episódio, achei que as opiniões que vocês tiveram foram muito bem colocadas e não tenho nada a acrescentar. Só queria fazer uma observação complementar sobre o comentário do Gilliard sobre o modelo freemium da Zynga.

Os jogos estão ficando mais sofisticados. Se você comparar Farmville com Castleville, vai perceber que o nível de sofisticação de Castleville é imensamente superior. Os gráficos são lindos, a música foi gravada com uma orquestra de verdade e o jogo tem um escopo gigantesco (em termos de quantidade de missões). Toda essa sofisticação tem, literalmente, um preço. E não tenho dúvidas que a produção desse jogo custou bastante dinheiro.

Só que, como já foi documentado por aí, dizem que o público consumidor de jogos freemium-ville não cresce na velocidade esperada. Os jogadores migram de um jogo para o outro. Portanto, se o custo de produção aumenta e o público não, eles teoricamente estariam perdendo dinheiro com novos jogos. A não ser que alguém argumente que Farmville já estava dando prejuízo porque o público cansou e não estava jogando mais. Castleville surgiu para dar mais do mesmo e continuar gerando uma renda semelhante.

Lógico, tudo isso são apenas reflexões, já que não tenho informações da Zynga para falar dos números deles. Porém, fico preocupado com este modelo de jogo. A matemática me parece esquisita. Se o jogo custa mais e não tem mais gente jogando, o resultado é prejuízo.

Gilliard Lopes disse...

Oi Marcelo, teu comentário faz sentido, mas que outra opção a Zynga tem? Nunca mais fazer outro jogo e esperar que os usuários fiquem no Farmville pra sempre?

Como você mesmo disse, os usuários de jogos sociais parecem migrar de um game para outro, e a Zynga obviamente não quer que eles vão para os jogos da concorrência, o que inevitavelmente irá acontecer se eles não investirem em novos games.

E só pra corrigir ligeiramente o teu último argumento, se o novo jogo custa mais do que o anterior e não tem mais gente jogando, não significa necessariamente prejuízo, mas sim que o lucro será menor que antes. É um preço que me parece inevitável que a Zynga pague nesse momento, sob o risco de ser desbancada por um concorrente que tenha a ousadia de aplicar essa mesma estratégia.

Marcelo Martins disse...

Legal, Gilliard.

Obrigado pelo complemento!

Me preocupa o fato deles repetirem a estratégia. Se o lucro fica cada vez menor a cada lançamento, eles vão precisar mudar em algum momento. Vamos ver o que eles vão aprontar no futuro.

Um abraço!

Anônimo disse...

O podcast de vocês tem um conteúdo bem bacana. Acho que merecia ter mais sucesso e ser ouvido por mais pessoas. Vocês já pensaram em participar de outros podcasts com o objetivo de divulgar o podcast de vocês? Fazer parcerias, sei lá...

Gilliard Lopes disse...

Obrigado, Sr. Anônimo. Nós bem que gostaríamos de participar de outros casts, mas em muitos casos a distância é a maior dificuldade, já que a maioria deles é gravada em pessoa. Mas temos interesse em divulgar e participar de outros casts sim.

Anônimo disse...

O ign tem um artigo publicado interessante sobre esse assunto:
http://games.ign.com/articles/122/1220883p1.html