segunda-feira, 25 de junho de 2012

QuickQuest #28: Yes, Nós Temos Indies

No Quickie de hoje, Gilliard Lopes responde a um e-mail do ouvinte Diego Castro, que pergunta sobre as vantagens e desvantagens de abrir uma empresa de desenvolvimento de jogos indie fora do Brasil.


Faça perguntas e sugira assuntos para os próximos QuickQuests pelo e-mail contato@podquest.com.br ou no Twitter @ThePodQuest.

Ouça no link a seguir:
QuickQuest #28: Yes, Nós Temos Indies
(botão direito, depois "salvar como" para baixar)

Ou ainda, adicione o feed e tenha todos os episódios quando quiser!
http://feeds.feedburner.com/doublejump/podquest
No iTunes, vá em "Advanced - Subscribe to Podcast" e cole o endereço acima.

10 comentários:

Rafael P Padovani disse...

Exelente Quickie Gilliard,

Pegou exatamente nos pontos em que algumas empresas indies aqui no Brasil estão passando e até pensando.

Realmente uma das coisas mais complicadas é encontrar um profissional capacitado aqui no Brasil para quando surgir alguma demanda agente tenha segurança em aciona-lo.

Uma coisa legal que aprendi aqui na minha pequena carreira é de participar dos Jams que acontecem aqui no Brasil, um exemplo é o GGJ, que todo ano no final de janeiro. E lá pode ter certeza que apesar de a maioria estar empregado ou fazendo sua empresa indie rodar, sempre tem um desenvolvedor que pode te ajudar a encontrar outro bem capacitado ou diretamente te dando um luz.

Grande Abraço,

felipowsky disse...

O @Padovani falou um ponto que pensei hoje de manhã: game jams.
Li recentemente uma opinião do Jonathan Blow sobre esses eventos e, sinceramente tenho um pouco de preconceito sobre o real benefício dos mesmos. Gostaria de participar um dia de um, mas não sei se valeria a pena o esforço (de deslocamento e financeiro) e também não sei o preparo necessário para ter um bom resultado.
Alguém que já participou poderia esclarecer melhor se vale a pena e os pontos positivos e negativos?

Sobre o episódio, gostei bastante. :)
Acho que só acrescentaria a questão da internet e comunidade on-line que auxilia bastante no desenvolvimento de um jogo indie caso você não tenha alguém próximo. Há alguns casos de sucesso neste estilo. Apesar de precisar de bastante sorte para funcionar bem.

Rafael P Padovani disse...

@felipowsky

Seguinte: já participei de vários e quanto a resultado financeiro com algum projeto posso te dizer que não tenho nenhum. Agora quando o assunto é network meu caro, juro não tem lugar melhor pra encontrar a custo 0 uns dos melhores e mais promissores profissionais do mercado.

Caso esteja afim de participar num sentido mais competitivo aconselho vc a conversar com o pessoal da Miniboss que tem levado bem a sério os jams.

Na minha opinião os Jams(já participei de 4) são exelentes para estudar fazer network de problemas específicos de desenvolvimento. Pensa em uma empresa gigantesca, onde todos estão afim e mto de desenvolver jogos. Só que cada um tem seu projeto distinto. Ou seja rola mto artista participando de mais de 1 projeto, ou programadores dando aquela "consultoria" essencial para o jogo de algum amigo funcionar.

Agora sou contra ficar sem dormir e essas outras coisas que vão contra a qualidade de vida como comer mal e tal. Então se vc souber dosar as coisas vc se sai mto bem.

Esse ano tive uma experiência muito boa de network com o pessoal que trabalha com o mesmo sdk que eu meu no GGJ em Campinas. Pra eu foi realmente essencial para meu crescimento profissional em programação mesmo pq eu não tive uma vasta base no assunto.

Abs

Marcelo Martins disse...

Gilliard,

Parabéns pela resposta completíssima do Diego Castro. Excelentes informações, como sempre.

Se eu fosse acrescentar algo, diria somente ao pessoal que quer montar sua empresa aqui, que tenha pelo menos um histórico mais sólido no Brasil. Ou seja, tenha já lançado um jogo e/ou já tenha passado por alguma experiência em outra empresa.

A concorrência aqui é muito grande e você vai disputar investimento/mercado com outros indies que são bastante desenvolvidos. É difícil convencer um investidor a colocar dinheiro em uma empresa sem experiência.

Outra coisa muito importante é saber se você vai se adaptar à cultura do país. Você está confortável com a língua? Gosta do clima? Da comida? Sabe o que é histórico de crédito? Tudo isso é fundamental para poder viver bem num país estrangeiro. Pesquise bastante sobre imigração e sua vida pessoal antes de tomar uma decisão. Depois, pense na sua empresa.

Thiago ferreira disse...

Maneiro este assunto.
Gostaria de acrescentar o seguinte, apesar do gilliard ter falado tudo, quando falamos em exterior iremos competir com gente boa, gente que teve um bom estudo se dedicou não que somos inferiores jamais, só que temos que ser per no chão e construir todo uma historia antes de ser indie internacional.... no momento estudo jogos digitais e já estou pensando em juntar com uma galera para desenvolver projetos simples de inicio e ir crescendo ao ponto de tomar atitudes como gilliard e outros, ou ate mesmo ser indie mais acho que o brasil apesar da falta de investimento nesta areá ainda tem muito que crescer, e está crescendo mesmo aos poucos.

Valeu....

Wesley Bastos disse...

Muito bom o podcast, bastante explicativo, acredito ainda que foi bem mais elucidativo que o post do Glauber:
http://www.doublejump.com.br/os-pontos-fracos-do-gamedev-brasileiro/

Pra mim lendo o artigo parece que ele quer dizer, empresa no Brasil não tem jeito.
Mas o Gilliard em poucas palavras deu esperança ao povo brasileiro.

Anônimo disse...

Wesley, eu tomaria cuidado com o que o Glauber e demais desenvolvedores frustrados dizem. O fato de eles terem fracassado não quer dizer que você vá fracassar. Muitas vezes pessoas com frustrações gostam de frustrar os outros, para se sentirem um pouco melhores, pense nisso...

Luiz disse...

Uma coisa que não dá pra esquecer é que a internet não só facilita a distribuição do jogo. Ela também possibilita que pessoas de diversos lugares trabalhem juntas num mesmo projeto.

Lógico, sempre é melhor trabalhar junto fisicamente, mas se você não acha as pessoas que precisa na sua região pode sempre buscar alguém online. Vários jogos indie famosos foram feitos nessa forma.

Shendoo disse...

Concordo com tudo que o Gilliard falou, eu ja fiz varios joguinhos para pegar experiencia, a ideia de ser indie no Brasil não e tão dificil se vc tiver disposição e perseverança. O importante é dedicar no seu trabalho se vc realmente quer ser reconhecido por ele.

Thiago ferreira disse...

Para quem nunca viu e retrata muito bem sobre indie game: vale a pena.

http://www.youtube.com/watch?v=GhaT78i1x2M