segunda-feira, 8 de abril de 2013

QuickQuest #44: Ode a John Riccitiello

Após o desligamento do CEO John Riccitiello da Electronic Arts, que foi efetivado no último dia 31 de março, Gilliard Lopes apresenta neste QuickQuest sua opinião sobre a influência e o legado que JR deixou no maior publisher independente de videogames do mundo.

Faça perguntas e sugira assuntos para os próximos QuickQuests pelo e-mail contato@podquest.com.br ou no Twitter @ThePodQuest.

Ouça no link a seguir:
QuickQuest #44: Ode a John Riccitiello
(botão direito, depois "salvar como" para baixar)

Ou ainda, adicione o feed e tenha todos os episódios quando quiser!
http://feeds.feedburner.com/doublejump/podquest
No iTunes, vá em "Advanced - Subscribe to Podcast" e cole o endereço acima.

4 comentários:

Matuck disse...

Olá Gilliard,
de fato a imagem da EA mudou muito nos ultimos anos e sem dúvidas o CEO tem uma grande participação nisso. Vejo que o papel de alguém nessa posição é ter uma visão longa da companhia e aplicar as mudanças para ela se conduza a onde deveria estar. Acredito que o mais difícil é estabelecer a comunicação entre todos os níveis da empresa que estas ações exige. Imagino que como qualquer empresa deste porte existam 12.. 15 níveis de hierarquia e estabelecer uma cultura ou mudar um hábito diante disso é uma tarefa árdua. As informações se perdem na transição dos níveis, como elétrons perdem energia saltando para camadas periféricas! (hahaha ou quase isso). Sem dúvidas a gestão da EA conseguiu fazer isso muito bem, mudou a imagem da empresa com jogos de muita qualidade.

Muito bom quickquest! Grande abraço!

Marcelo Martins disse...

Olá Gilliard,

Muito bom saber a opinião de alguém que está dentro da EA. Para quem está de fora, nem sempre dá pra confiar e acreditar no que a gente lê na mídia.

Espero que o novo CEO traga ainda mais evolução para a EA e que pense com carinho na franquia Dead Space.

Leonardo SF disse...

Semana passada o Peter More fez uma postagem no blog da EA que eu achei muito sincera. Reconheceu que a EA cometeu alguns deslizes no passado e o mais recente foi o SimCity. Como ele mesmo reconhece a EA é uma empresa muito grande e isso a torna um alvo fácil para ser criticada. Lançando vários jogos as chances de errar são muitas. Vide a Actvision que o carro chefe é o CoD e SkyLanders mas recentemente lançou o um péssimo jogo do The Walking Dead e ninguém falou mal dela, só do jogo.

Espero que o próximo CEO traga uma cara nova para EA. Uma empresa que tem um enorme catálogo de IPs e produtoras competentes trabalhando com ela. Que dê cada vez mais liberdade às produtoras e que veja que o mercado de games não é mais só AAA e jogos sociais e sim jogos menores mas tão competentes como os AAA.

Uma análise boa que fizeram sobre a declaração de que Dead Space iria ser cancelado se não atingisse a meta de 5 milhões de cópias vendidas é que jogos de terror não são para o público em geral e sim para um nicho. Que esses tipos de jogos não deveriam ter um custo de produção tão alto forçando vendas astronômicas.

Esse começo de geração vai ser uma boa oportunidade para uma cara nova no comando da empresa.

Diego Barboza disse...

Muito bom esse episódio Gilliard. Uma coisa que eu realmente não entendo é esse ódio a empresas/pessoas da indústria. Eu lembro de ter visto muita gente soltado fogos quando a saída do Riccitiello foi anunciada, mas o que as pessoas não conseguem enxergar é que a EA fez muita coisa boa com ele no comando e que sua saída pode significar que vários aspectos criticados da gestão dele podem piorar ainda mais. Eu não me recordo exatamente onde, mas li um texto que falava como o free-to-play, as micro-transações e a alta quantidade de DLCs (todos aspectos criticados atualmente pelo público) têm grande chances de ter um foco ainda maior na próxima gestão, já que são uma tendência de mercado e uma fonte mais "segura" de se conseguir dinheiro.