segunda-feira, 29 de julho de 2013

PodQuest #64: Sol Nascente, Games Decadentes

Na edição desta semana, o PodQuest traz uma discussão profunda sobre o estado atual e o futuro incerto da indústria de games no Japão. Os Questers comentam sobre as dificuldades que Nintendo, Square Enix e outras estão enfrentando no mercado atual, e falam também do relativo sucesso que developers japoneses como a Level 5 e a Platinum Games ainda conseguem obter na indústria amplamente ocidentalizada de hoje.

Links:

Ouça diretamente no link a seguir:

PodQuest #64: Sol Nascente, Games Decadentes
(botão direito, depois "salvar como" para baixar)

Ou ainda, adicione o feed e tenha todos os episódios quando quiser!
http://feeds.feedburner.com/doublejump/podquest
No iTunes, vá em "Advanced - Subscribe to Podcast" e cole o endereço acima.

Ouça e comente! Se preferir, entre em contato por e-mail em contato@thepodquest.com ou pelo Twitter em @ThePodQuest.

12 comentários:

Petrucio disse...

Estou na área aqui nos comentários caso alguém tenha alguma pergunta com relação ao Adventurezator!

Abraço!
Petrucio

André disse...

E eu tenho uma dúvida pra vc Petrucio, vc está pedindo 20 mil, isso vai ser o suficiente? Parece que o jogo já está pronto e o kickstarter é só um preorder (não que eu tenha problema com isso), mas se não como vcs pretendem terminar o jogo com tão pouco?

Wesley Bastos disse...

Ainda estou escutando o episódio, e daqui a pouco adiciono meus pitacos sobre ele (mas até agora esta bem bacana).
Tenho algumas perguntas para o Petrucio:
1 - Como é a experiência de criar uma mini engine/framework já dentro de uma engine (no caso a Unity)?
2 - Você acredita que o Kickstarter só por ele (sem o esquema dos pledges) já concede mais divulgação para o game?
3 - Me desculpem por ser meio intrometido, mas como foi feito, para que vocês participassem do Kickstarter, já que ele aceita somente americanos?

Agradeço, estou justamente dando minha contribuição por lá e fico no aguardo do lançamento do game.

Petrucio disse...

@André: Não, o kickstarter não é preorder - a gente já tem um tanto de funding, mas tá faltando um pouco mais pra gente poder ter uns 2-3 meses adicionais de desenvolvimento pra poder debuggar e fazer polish, e não precisar lançar o jogo meio rough. Ou seja, esse valor não é nem pra financiar o jogo todo, e nem é só um pre-order.

Petrucio disse...

@Wesley Bastos:
1 - Estamos criando ferramentas que permitem ao jogador criar coisas, e acho que chamar isso de engine e comparar à Unity é como comparar maçãs com laranjas. É justamente por isso que eu prefiro chamar de meta-jogo ou brinquedo, e não de engine ou ferramenta de desenvolvimento.
2 - Depende do ponto de vista. Um pouco de divulgação ele dá sim, mas por consequência do teu esforço - a divulgação não acontece sozinha só pelo kickstarter não, ainda mais com equipe pequena e desconhecida. Acho que apenas caso o projeto passe dos 20k, ele tem um pouco mais de publicidade, porque a media vai querer acompanhar pra ver se ta indo conforme prometido - mas isso ainda é especulação. E de acordo com uma empresa de PR que eu contatei, a media deixa de ignorar projetos depois que eles passam pelo processo KS.
3 - Pagamos um contador americano pra ficar de intermediador.

Alnun disse...

Papo muito bom sobre a indústria japonesa! Acho que o principal problema é o formato dos jogos serem muito direcionados para o público nipônico. Lembro-me de, na época do Sega Saturn, uns amigos dizerem que jogos japoneses são estranhos. Discordei dizendo que os melhores (naquela época) vinham de lá, mas pensando bem até que eles tinham razão: eles não eram gamers hardcore, portanto jogos J-RPGs e com personagens SD (Hot Shot Golf?) eram de outro mundo para eles.

Não conhecia ainda o Adventurezator. Muito bom! Se o financiamento no Kickstarter se confirmar, com certeza será uma grande publicidade.
A quanto tempo o jogo vem sendo feito?

Shinka disse...

Do jeito que vocês falaram parece que só empresas japonesas fecham estúdios.
Mas concordo com vocês que lá há uma crise maior pois demoram bem mais para se adaptar e tem valores bem menos globalizados.
E os americanos geralmente tem visões de negócio bem mais agressivas e funcionais também, principalmente para blockbusters.

Quanto ao Wii U, a situação é ruim, mas a Nintendo está aprendendo.
O 3DS mostra isso. Ele não teve um começo muito quente também.
Só que não adianta esperar as mesmas ações da Microsoft e Sony.
Por vários motivos não funcionaria pra ela, e o Iwata é adepto da estratégia do oceano azul.

PS: Provavelmente os jogos que o Secco queria falar são de Naruto e One Piece, dois Animes que tem muitos fãs.
É um nicho maior e mais empolgado($) do que vocês pensam.

Petrucio disse...

@Alnun: 10 meses full-time, mais quase 1 ano nas horas vagas antes disso.

josiael silva disse...

Muito bom o Pod.Como sou muito fã de Final Fantasy e jogos japoneses em geral, não poderia deixar de perguntar, algum de vocês terminou o FFXIII?
Porque mesmo ele sendo um corredor infinito(como o secco disse)eu achei que ele teve muito pontos fortes também.

Fernando Secco disse...

@Josiael

Cara, eu não me empolguei para jogar o 13-1 depois de ver um amigo jogar e não consegui terminar o 13-2 pois achei muito repetitivo, apesar de bonitão e o combate ser bom.

@Shinka
O foco não era falar de fechamento de estudios mas sim de problemas com a indústria japonesa. Um dia dia a gente faz um da indústria ocidental.


Sobre a Nintendo. Ela é incrivel e sempre se da bem, o problema é que agora, o WiiU está em uma posição menos priveligiada que o Wii (que criou um nicho) e que o DS (que governou(governa?) os handhelds) e tem mais concorrentes (PS3, Xbox360, PS3 e XboxOne). Querendo ou não, PS3 e Xbox tem muitos jogos e como o hardware é equivalente e mais barato, é muito possível que compita direto. O XBoxOne e o PS4 complica mais... já que são o maior foco dos third party.

O grande problema é convencer o consumidor casual a comprar o console deles. Como vimos na midia, as vendas do xbox360 continuam boas e do WiiU não estão tão boas assim.

Sobre o Naruto, você tem razão. Jogos de nicho japones vendem demais... Veja a Koe com o Dinasty Warriors e Fist of the north star...

Obrigado pelos comentários!




Edward Facundo disse...

É bom vê-los voltarem depois do hiato, ;) sabemos como é complicado o tempo.

Concordo com a maioria das argumentações, mas gostaria de adicionar um ponto que acredito ser de valia: as novas gerações do ocidente estão crescendo consumindo a cultura oriental, mangas, animes e até a estética na produção artística já existem visíveis influências. .Será que não é esse o momento da Nintendo se recuperar?

E claro: ser mais amigável com os estúdios terciários. Lembro de postmortem de um desenvolver americano que utilizou ferramentas homebrew para desenvolver seu jogo no wii e quando conseguiu a licença se espantou quanto as ferramentas oficiais estavam rudimentares.

Marcelo Martins disse...

Olá pessoal,

O fato de eu não ter comprado o Nintendo WiiU ainda é mais uma forte evidência de que ela está passando por problemas nesta geração. Sou fã deles e adoro Mario, Zelda, Pikmin, Paper Mario... Mas, basta olhar pro lado e ver o PS4 (e até mesmo o PS3) pra entender que a oferta de jogos dos concorrentes é excelente.

0 3DS tem alguns jogos legais e concordo que é por isso que eles ainda se sustentam no mercado.

Uma coisa que eles ainda são imbatíveis é a questão musical (tanto artística quanto de implementação) nas suas franquias principais e isso pra mim já vale a compra.

Porém, os concorrentes estão chegando perto. Ni No Kuni é uma mistura de Zelda com Final Fantasy e pra mim é o melhor JRPG dessa geração.

Ah, vocês esqueceram de citar um desenvolvedor japonês que quebrou (está quebrando) paradigmas: From Software... ;)