segunda-feira, 25 de abril de 2011

QuickQuest #01: Start Up!

QuickQuest é um novo programa com duração máxima de 10 minutos no qual os colaboradores do PodQuest falam sobre quaisquer assuntos na áres de games e repondem às suas perguntas enviadas por e-mail ou Twitter. O QuickQuest será publicado a cada duas semanas, sempre que não houver um episódio do PodQuest.

Faça perguntas e sugira assuntos para os próximos QuickQuests pelo e-mail contato@thepodquest.com ou no Twitter @ThePodQuest.

Ouça diretamente no player abaixo:



Ou no link a seguir:
QuickQuest #01: Start Up!
(botão direito, depois "salvar como" para baixar)

Ou ainda, adicione o feed e tenha todos os episódios quando quiser!
http://feeds.feedburner.com/doublejump/podquest
No iTunes, vá em "Advanced - Subscribe to Podcast" e cole o endereço acima.

14 comentários:

Andre Nunes disse...

QuickQuest: a melhor notícia que se pode receber em uma segunda-feira pós feriadão!

Allyson Jeronimo disse...

Muito bom! O QuickQuest foi uma excelente iniciativa, assim podemos ter conteúdo de qualidade enquanto o PodQuest não sai.

Bom, sou desenvolvedor de software e estou concluindo o curso de Sistemas de Informação este ano. Sonho em um dia poder fazer parte dessa indústria maravilhosa e estou dando os meus primeiros passos, aprendendo o XNA. No entanto, acredito não dotar de caracteristicas de empreendedor, o que me direciona mais para o nível técnico, ao menos por enquanto. Gostei muito da forma realista que foi abordado esse tema por Gilliard, mostrando umas das maiores necessidades atuais do mercado brasileiro de jogos. Assim fico na esperança de que mais pessoas entrem na inústria com esse intuito de gerar novas oportunidades.

Gilliard Lopes disse...

Fico feliz que vocês tenham gostado, a idéia era mesmo ter conteúdo mais frequente e mais rápido de produzir, e poder responder às perguntas do pessoal mais agilmente. Falando nisso, estamos no aguardo de sugestões para os próximos QuickQuests!

rodrigot disse...

Gilliard, é um pouco fora do podquest e nem sei se vc pode ou sabe responder. Mas tava rejogando esse fds e me ocorreu te perguntar.

Pq o FIFA não tem mais narração em pt-br desde 2009?
A EA mudou de postura em relação ao nosso mercado? Não valemos mais esse investimento?
Se nunca tivesse tido aceita-se, mas se já teve e era um trabalho muito bem feito derepente nao ter mais é triste.

No caso de 2010, até onde me consta as trilhas foram até gravadas, mas nunca apareceram pra update/download ou compra.

Gilliard Lopes disse...

@rodrigot Cara, não tem muito que eu possa comentar sobre isso, mas basta dizer que o mercado brasileiro foi uma aposta do FIFA há alguns anos que não rendeu o esperado por causa da pirataria.

O processo de produção dos comentários vai desde a gravação com os narradores, que cobram valores às vezes fora do normal, até a limpeza e edição por um profissional de áudio contratado só pra isso (pois os nossos audio engineers daqui não falam português), e adaptação ao jogo. Tudo isso tem que ser feito todo ano, pois muitas features novas de comentários são introduzidas, então não daria simplesmente pra copiar e colar os comentários do ano passado, senão o jogo ficaria capenga.

Fernando Secco disse...

Massa Gilliard, muito legal ver você falando sobre isso, eu sei que você bateu muita a cabeça tentando empreender.

Agora eu quero te perguntar uma curiosidade e botar fogo ao mesmo tempo.

Você era programador/produtor quase o empreendedor :). Se você virasse o Empreendedor da sua empresa, como você acha que você conseguiria separar o lado administrativo do seu lado desenvolvedor?

E um pouco além disso, como você vê alguém que resolve abraçar o lado empreendedor e ainda quer continuar no papel dele como chefe e desenvolvedor podendo, muitas vezes, prejudicar o time e o produto. Você acha tem como separar isso facilmente ou seria um exercício diário ?

Gilliard Lopes disse...

Oi Secco, excelente pergunta, muito pertinente mesmo.

Acredito que numa empresa pequena como era o caso da Paralelo que eu tive no Rio, ainda é possível que o empreendedor participe muito do desenvolvimento. Na verdade, ser "empreendedor" não é um cargo que ocupa 100% do tempo durante todo o projeto nesse caso, e como sabemos nas empresas pequenas todo mundo tem que estar disposto a fazer um pouco de tudo. O empreendedor nesse contexto seria apenas um membro do time que decide correr atrás de estudar e produzir um plano de negócios para viabilizar a empresa, como eu fiz na época.

Agora, conforme a empresa e os projetos ficam maiores, as atribuições do empreendedor começam a crescer muito e conflitar com o tempo que ele precisaria pra continuar sendo um desenvolvedor. Nessa hora é preciso tomar uma decisão, entre ser o administrador/presidente da empresa, ou continuar sendo membro da equipe de desenvolvimento. Tentar abraçar ambos os papéis pode realmente causar muitos problemas conforme você disse, afinal esse profissional acabaria não tendo tempo de estar atualizado sobre tudo o que acontece no dia-a-dia de um projeto grande para que ele possa tomar decisões e participar criativamente do projeto, e ao mesmo tempo dar conta das responsabilidades do empreendedor.

Vi isso acontecer algumas vezes nas empresas por onde passei e posso afirmar que é um dos problemas mais difíceis de se resolver, e algo que com certeza entra na discussão sobre empreendedorismo nos games. De qualquer forma, enquanto não surgirem essas pessoas dispostas a sacrificar talvez o seu próprio papel como desenvolvedor no futuro pra criar oportunidades de negócios na área de games, acho difícil que a indústria brasileira consiga decolar.

Mauricio disse...

Parabéns, esse novo podcast é animal!

Chuim disse...

Opa! Meu primeiro comentário aqui no PodQuest!

Realmente o assunto é pertinente DEMAIS para a indústria Brasileira de jogos. Eu também passei pelo lado empreendedor da indústria com a Hoplon e (agora) sei bem que não é "bolinho". Mas também que não tem outra saída hoje em dia para a grande maioria dos entusiastas brasileiros.

Em especial, na resposta do comentário do Secco, vejo muito da minha experiência ali descrita. Não é coincidência não, né Gilliard? ;) De qualquer forma, essa é uma das várias decisões difíceis que empreendedores devem (ou deveriam) tomar pelo bem do negócio...

PS: Fiquei quase sem ar só de ouvir: fazer caber tudo isso em 10 minutos não é tão fácil quanto pode parecer! :D

Marcelo Martins disse...

Gilliard,

Parabéns pela iniciativa. Olha, acho o assunto essencial, não só para o mercado brasileiro, mas para todo o mundo.

A questão é que, como você falou, ser empresário é extremamente difícil. Não só pelo fato da divisão técnico/administrativa que o Secco comentou, mas há uma série (uma infinidade, na verdade) de questões que precisam ser analisadas para se começar uma empresa.

Depois de começar uma empresa, a tarefa não fica mais fácil, já que você precisa fazer com que a empresa se mantenha, se torne relevante e seja lucrativa.

Porém, apesar dos riscos, para quem tem persistência e muito estômago, a satisfação de criar uma empresa e conseguir mantê-la é extremamente grande.

Enfim, isso é assunto para 1 podquest completo! ;) Talvez até dois...

Gilliard Lopes disse...

Obrigado por comentar, pessoal!

@Chuim Seja bem-vindo, e que seja o primeiro de muitos comentários! Realmente, não é coincidência: você é um dos melhores exemplos que eu tenho de um desenvolvedor que tomou essa difícil decisão acertadamente. Infelizmente, nem todos os casos são como o seu...

@Marcelo Obrigado, com certeza vamos estudar a idéia de falar mais profundamente sobre o assunto em um futuro PodQuest.

Jose Ricardo disse...

Primeiramente gostaria de parabenizar a todos por esta grande iniciativa...

Para fomentar um pouco mais sobre a discussão, qual seria o outro caminho para o cara que quer ir para a indústria, porém, sem empreender? Participar em concursos de jogos? Especialização?

Hoje, no Brasil, vejo muitos cursos de jogos. Porém, acredito que não teremos um mercado que absorva toda essa mão de obra gerada e, muitos desses alunos, as vezes, podem não se interessar por empreendedorismo....

Felipe Augusto "felipowsky" disse...

Comentário atrasadíssimo, porém não poderia deixar de elogiar a iniciativa de vocês: parabéns.

Sugestões para o QuickQuest:
- Engines
- Indústria indie (esse daria até um PodQuest)
- Importância dos achievements
- Como cobrar por jogos?
- QuickQuest News (com principais notícias da semana anterior, diferente do Journal onde comentam 1 assunto geralmente)
- Publicidade de jogos

Gilliard Lopes disse...

@Jose Ricardo Acho que esse "outro caminho" depende muito da situação de cada um. O ideal seria desenvolver pequenos jogos como projetos pessoais para enfrentar os problemas típicos, aprender no processo e construir um portfolio. Mas claro que isso demanda muito tempo e geralmente necessita de pessoas com diferentes perfis (programadores, artistas e GDs) que você pode não ter à disposição.

Não há resposta perfeita para a sua pergunta, por isso o meu apelo para que os empreendedores se levantem. É realmente muito difícil achar vagas em bons projetos na indústria brasileira, e sem essa experiência inicial fica bem difícil concorrer por vagas fora do Brasil.

@felipowsky Excelentes sugestões! Todas anotadas. O tema sobre indies já estou cozinhando há algum tempinho...