segunda-feira, 16 de maio de 2011

PodQuest #20: Em Grupo É Melhor

No vigésimo episódio do PodQuest, Rafa, Fernando e Gilliard estão de volta para falar da importância dos jogos multiplayer, sejam eles cooperativos, competitivos, ou mesmo massivos. Eles discutem os clássicos do passado, os diferentes estilos de multiplayer do presente, e as expectativas para o futuro.

Journal:


Links:


Ouça diretamente no player abaixo:



Ou no link a seguir:

PodQuest #20: Em Grupo É Melhor
(botão direito, depois "salvar como" para baixar)

Ou ainda, adicione o feed e tenha todos os episódios quando quiser!
http://feeds.feedburner.com/doublejump/podquest
No iTunes, vá em "Advanced - Subscribe to Podcast" e cole o endereço acima.

Ouça e comente! Se preferir, entre em contato por e-mail em contato@thepodquest.com ou pelo Twitter em @ThePodQuest.

17 comentários:

Fábricio Mendes disse...

Bem, no começo da geração eu não ia muito com essa de jogos com multiplayer pela internet, devido a nossa conexão aqui no Brasil, eu ficava com medo de cair no meio de uma partida ou começar a dar lag, algo assim.
Por isso sempre preferi games com multiplayer local, mas depois fui digamos "obrigado", a partir para o multiplayer online já que alguns games (como Skate 3, Need for Speed, etc), começaram a deixar de oferecer multiplayer local para oferecerem multiplayer online. Já estou me acostumando com isso, mas ainda sinto falta de poder ver quem faz as melhores manobras ou quem se da melhor num racha com os meus irmãos. Hoje o que fazemos é, jogar online e quem morreu passa o controle para o outro.
Apesar de ser um Sonysta, ainda admiro a Nintendo por oferecer multiplayer local, gosto de jogar com os familiares e amigos no mesmo console, sem necessitar de internet, do que adianta o console suportar até 7 controles, se pouquissimos games suportam até 2 jogadores.
Mas como devemos nos adaptar ao cotidiano, já estou gastando grande parte do meu tempo de jogatina, em disputados no Black Ops ou detonando os amigos no Fifa 11.
E por último gostaria de comentar sobre 3 games, que são focados no single-player, mas que...vamos direto aos games:
1 - Uncharted 2: este game por si só, somente com seu single-player já é fantástico, mas seu multi-player não deixa nada a desejar, as partidas são muito boas e bem divertidas, o unico problema é a demora no lobby, tirando isso, este é um game em que o multiplayer é um plus e um plus de qualidade;
2 - Dead Space 2: Acho que este tentou fazer o que Uncharted 2 conseguiu, atrelar uma experiência multiplayer a um grande título focado no single, mas já neste, a Visceral não conseguiu o mesmo capricho que o pessoal da ND, resultado um grande game single player com um multiplayer de causar inveja, e fazer os produtos se perguntarem porque eu gastei recursos nisto, na minha humilde opnião se os recursos do MP de DS2 fossem focados no SP, ele serie um game melhor do que foi;
3 - Batman Arkhan City: Neste último, que ainda nem foi lançado, os produtos já disseram que o game não tera multiplayer pois todos os recursos estão focados na experiência singleplayer, ou seja acredito que eles estão tentando fugir da cagada que Dead Space 2 conseguiu fazer e ao mesmo tempo mostrando a industria que nem sempre um game necessitar ter um modo online para tornar a experiência daquele título melhor possível.

Lucas "Sniffer" disse...

Ótimo podcast, assim como o último QuickCast do Fernando Secco (espero que venham mais dele assim como do Rafa e do Giliard também), este foi bastante explicativo e com diversos pontos de vista interessantes. E assim como o Giliard, vou jogar uma batata quente na mão do pessoal do PodQuest:
Depois de anunciarem que o novo COD MW 3 terá multiplayer entre plataformas e assim como Portal 2 tem co-op entre plataformas, o que vocês acham desta plataforma multiplayer v2 (acho que posso dizer assim), onde temos comos vocês citaram no podquest, os 2 tipos de multiplayer co-op e competitivo entre x360 e PS3 (agora com a volta da PSN), vocês acham que isso começara a se tornar um padrão para os futuros games multiplataforma com um forte multiplayer online? Será que isso irá aumentar a "rixa" entre fanboys das empresas, qual a opnião de vocês? Eu iria sugerir isto como um assunto para um QuickCast, mas como gostaria de saber a opnião de cada um, preferi postar como comentário.
Fico esperando o ponto de vista da galera do PodQuest.

Wallacy Wagner disse...

Finalmente alguém que concorda comigo. Como o Gilliard, tbm não gostei de RDR, quer dizer não gosto de nada da Rockstar, e digo mais, LA Noire também vai ser a mesma coisa dos outros jogos que a empresa faz!
O podcast ta cada vez melhor, flw!

Fabiano Pimenta disse...

Poxa, como comentar um podcast de quase duas horas?!

Gilliard, o RDR faz auto saves ao longo do jogo após você terminar cada sidequest ou missão importante. Ou seja, não precisa mais procurar uma casinha pra você salvar o jogo. Nem pra buscar munição. Bem, no fim, elas só são úteis agora pra você trocar a roupa do personagem.

Ainda não joguei o Dead Space 2 (putz, acabei de terminar o 1º!), mas achei a ideia do multiplayer no jogo um pouco forçada. Como no Bioshock 2, mesmo. E, no fim, acabo discordando do Frank Gibeau. Até porque a maioria dos jogos pra iOS e Android são pensados para experiências Single Player em doses rápidas.

E, pra finalizar: continuo muito fã dos resultados obtidos pela Valve com o Left 4 Dead. SP bacana, coop genial e multiplayer fantástico em uma mesma embalagem. Apesar de estarem sob o mesmo jogo, você tem três experiências bem diferentes dependendo do modo de jogo que você escolhe. Tudo fluindo perfeitamente bem. Acho que este é um caminho interessante a seguir...

Renato Souza disse...

Embora eu não goste nem de GTA nem de Mafia (que não é da Rockstar), fiquei impressionado com RDR, como a cidade é viva e os eventos "aleatórios" ocorrem, dificilmente se repetindo (para mim, começou a repetir somente na segunda "zerada").
Agora estou curioso para saber a opnião de vocês, quanto ao L.A. Noire no Active Quest do próximo podcast. O meu para PS3 ainda esta chegando, mas joguei hoje de manhà na casa de um amigo que "alugou" para Xbox e nossa com 2 horas de jogo, você vê que depois desse game acho que não vamos precisar de uma nova geração tão cedo, pois esta ainda tem muito o que mostrar. A barreira de 2009 a ser quebrada era Uncharted 2, a de 2010 foi Mass Effect 2 e agora em 2011 LA Noire será o marco (divivido com Portal 2, é claro).
Para mim esta geração ainda não acabou e foi/será uma geração de grandes surpresas.

Marcelo Martins disse...

Senhores,

Parabéns pelo podcast. Excelente conteúdo as discussões foram muito boas.

Somente aqui no Canadá tenho jogado mais multiplayer, já que no Brasil eu tinha uma conexão bastante ruim.

Porém, quero comentar que achei muito interessante o multiplayer do RDR. Muito divertido e gostoso de jogar. Missões bem variadas e com desafio interessante.

Um abraço!
Marcelo

Fernando Secco disse...

@Lucas

Que bom que você gostou do PQ, assunto complicado que da para falar bastante heheh :).
Bem, sobre MW3... Acho muito importante a ideia do multiplayer entre plataformas, acho que isso permite mais interatividade e faz com que mais e diferentes nichos de pessoas joguem juntas (jogadores de PC são, normalmente, considerados mais hardcore que jogadores de console). Mas eu não acho que as empresas como Sony e Microsoft permitiriam multiplayer entre suas plataformas. Mas acho se tiver alguma empresa que pode quebrar isso é a Activision com o COD3, afinal, 20 milhoes de cópias vendidas, podem ser um grande trunfo na hora das negociações. Outra coisa que eu gostaria de comentar, não acredito que o COD vai ter competitivo MP entre PC e consoles, acho que seria muito bruto. Mesmo o melhor jogador de console com Autoaim é muito inferior á um jogador moderado de PC (eu não sou o único a achar isso ;) http://www.guardian.co.uk/technology/gamesblog/2010/jul/22/pc-gamers-versus-console-gamers )

@Renato
Yep concordo, essa geração ainda tem muito gás, BF3, Mass Effect 3, COD3, Gears 3, Skyrim (para quebrar com os 3s haha), Deus Ex 3, Dark Souls e todos os jogos de esporte que, estão cada vez mais parecidos com uma transmissão ao vivo em HD (e outras maravilhas que não devem ter sido anunciadas ainda). O complicado não ta sendo achar tempo para jogar, ta sendo achar tempo suficiente para curtir tudo haha.

Obrigado a todos pelas respostas.
Abraço.

Leandro Vian disse...

Ainda escutando o podQuest mas tive que vir comentar. OMG Quackshot :D hahahaha

Wesley Bastos disse...

Acompanho o podcast desde o primeiro, mas nunca comentei, porêm gostaria de faze-lo agora.
Primeiramente, gostaria de elogiar o podcast, pô um podcast com 3 pessoas que trabalham na grande industria de games (Giliard no Fifa, Fernando no Deus EX e Rafael numa grande produtora de games sociais, não é para qualquer um) e só de vocês disponibilizarem do seu tempo para a gravação de uma programa com dicas para os aspirantes que desejam entrar nesta industria, sinceramente não tenho o que dizer.
Segundo, gostaria de sugerir um assunto para pauta do próximo podcast, seria:
O que vocês esperam da próxima geração de consoles, mas na visão de desenvolvedores (por exemplo, mais memória para suportar tais efeitos, mídia com mais espaço, melhores redes online), o que seria um modelo de console perfeito para a nova geração?

E também faço da curiosidade do @Renato Souza a minha, estou ansioso para saber a opnião de vocês quanto ao (pelos menos para mim) aguardadissimo LA Noire, espero que o Active Quest falando sobre este game tenha no minimo uns 30 minutos.

No mais, nada mais.

Gilliard Lopes disse...

Pessoal, muito obrigado novamente pelos comentários, e ao Secco por responder na minha ausência. O bicho tá pegando aqui no trabalho por causa da E3, por isso estou meio fora do ar, mas vou respondendo na medida do possível.

@Vian Pronto, ganhei o meu dia por saber de mais alguém que tem boas lembranças do Quackshot, um dos melhores jogos de Mega que eu joguei.

@Wesley Obrigado por ouvir e comentar, Wesley. Sua sugestão de assunto é muito boa, já recebemos essa mesma pergunta por e-mail e com certeza falaremos sobre isso em breve. Estamos aguardando mais novidades pós-E3 e alguns outros desenvolvimentos pra termos ainda mais lenha pra queimar nessa fogueira.

Estou jogando LA Noire e realmente o jogo merece um estudo de caso legal. Vamos ver onde encaixa, aguarde e confie!

Abraços!

Renato Souza disse...

@Fernando Secco no tempo do SNES/Mega Driver/N64 eu tinha pouco cartuchos e muito tempo, hoje já é o contrário, tenho muitos games mas pouco tempo, e olha que você esqueceu de citar alguns como Uncharted 3 (para continuar com os 3), Resistance 3, Batman Arkhan City, dentre outros, eu acredito que neste ano será "O Ano da Geração", tirando Mass Effect 3 e Bioshock Infinite que serão lançados somente ano que vem, este ano promete.

@Giliard, sem tempo né? E porque no podcast você chamou o Secco para jogarem Portal 2 no co-op? Brincadeiras a parte, sei que vocês devem estar trabalhando a plena vapor nestas 2 semanas já que a E3 esta ai, e com os grandes titulos que estão nas mãos de vocês, não é para qualquer um.

Espero que vocês façam um podcast com a cobertura da E3 ao olhos de devs e também como o amigo acima citou um com as espectativas de vocês para a próxima geração.

Além do Review de L.A. Noire.

Abraços.

Vinicius Lopes disse...

Em primeiro lugar gostaria de agradecer ao Gilliard pelas dicas no post anterior,vlw!

Agora, quando li o tema JURAVA que vcs iam falar do novo BRINK, na main quest ou até no quest failed mas nao falaram. Acho que não chegaram a jogar então eu vou colocar a minha impressão.


Um jogo multiplayer estilo L4D mas adicionaram ainda um sistema de classes que se complementam, e na minha opinião um gameplay mais divertido ainda doq L4D. Entretando, além de ser cooperativo, ainda é competitivo porque vc joga contra um outro time. Achei o jogo fantástico a primeira vista mas dps notei vários lados negativos.

1- Aparentemente o jogo Online(q nao joguei) tem as mesmas missões do single, então deve enjoar bem rápido ja que são apenas 8 missões para cada time.

2- Meu cunhado possui um Xbox360 e eu pedi para ele comprar o jogo para jogarmos juntos (ja q ambos gostamos mais de cooperativo) porém o jogo NÃO POSSUI SPLIT-SCREEN. Vcs acharam ruim ter que comprar o filme para jogar o jogo? E ter que comprar o video game para jogar com seus amigos? MEGA fail. Infelizmente perdeu toda a graça.


Em relação ao podcast, foi muito bom, vcs ressaltaram os principais jogos representantes de cada "estilo" e nao acredito que os jogos deixem de ser apenas single player. Taí Mass Effect e muitos outros pra provar.

Por enquanto é isso. Abraços e parabéns!

Gilliard Lopes disse...

@Renato Mas... mas... pra jogar Portal 2 a gente INVENTA tempo! =P

@Vinicius Ainda não jogamos Brink e por isso não podemos comentar. Obrigado pela tua análise!

Henrique Lazarini disse...

O comentário que o cara fez aí de que o multiplayer ajuda nas vendas, pra mim é só verdade

Nunca fui de comprar jogos, mas comprei Team Fortress 2 porque tenho amigos que jogam e é muito foda achar servidores nos jogos pirata, isso se tiver algum

Também comprei um 4-pack do jogo Magicka pra mim e uns amigos, unicamente porque vi um gameplay de um pessoal jogando, e fiquei tão animado de jogar online que ja comprei logo o pacote com 4

Leandro Vian disse...

Agora que terminei de escutar e sobrou um tempinho vim parabenizar vocês por mais um ótimo podquest galera, gostei muito do assunto e mais ainda por ele ter me feito pensar em alguns pontos que eu nunca tinha parado pra pensar em relação ao multiplayer/coop. Grande abraço e continuem assim galera.

Fernando Secco disse...

@Vinicius

Queria comprar muito o Brink, gosto muito da splashdamage, mas os reviews indicaram tantos problemas com lag que fiquei triste e desanimado. Alguém chegou a jogar a versão de PC?

Vinicius Lopes disse...

@Fernando Secco

Olha, eu joguei pra pc mas não posso dar minha opinião já que tive que colocar td no low e ficou mto lagado. A troca de pc está em andamento então depois eu mando minha impressão.

Do resto já disse tudo no meu post.


Abraços