segunda-feira, 21 de maio de 2012

PodQuest #43: Decisões Demais... Ou De Menos

Neste PodQuest, Rafael Kuhnen está de volta e se junta a Fernando Secco e Gilliard Lopes para discutir a quantidade e qualidade das decisões que um jogador precisa tomar em um game. Seria o papel do game designer evitar que o jogador tenha que tomar decisões óbvias, desnecessárias ou que possam prejudicar sua capacidade de terminar o game? Saiba essas respostas e muito mais em um dos mais acalorados PodQuests que já gravamos.


Ouça no link a seguir:

PodQuest #43: Decisões Demais... Ou De Menos
(botão direito, depois "salvar como" para baixar)

Ou ainda, adicione o feed e tenha todos os episódios quando quiser!
http://feeds.feedburner.com/doublejump/podquest
No iTunes, vá em "Advanced - Subscribe to Podcast" e cole o endereço acima.

Ouça e comente! Se preferir, entre em contato por e-mail em contato@thepodquest.com ou pelo Twitter em @ThePodQuest.

16 comentários:

Fernando Secco disse...

esqueci de comentar, lag em jogo single player é complicado...

quase morrer por lag em single player é inrritante...

é, lag em jogo single player...

Gabriel Santos disse...

sobre Diablo 3... >D

Eu tb ainda não entendi o jogo...

joguei solo todas os Atos no nivel normal fazendo o Lore, a historia é boa, ok...
agora no nivel nightmare, to lvl 43 só tive dificuldade no belial, isso pq estou fazendo um monge full healer e mesmo assim morria no poison...
imagino que no hell vai ser mais dificil, ok...

porem quando chegar no lvl 60 com os 4 atos completo no modo Inferno o jogo acaba?
forem 8 anos desenvolvendo o jogo para ter 4 atos (tive a impressão que no modo nightmare tem mais quest do que no normal, talvez eu tenho pulado elas)
achei o jogo curto, comparando com skyrim que tem muito mais quest e é um jogo single player...

Só comprei o jogo pq numa entrevista na festa pre-lançamento um dos produtores disse que focaram bastante no pvp,
espero que futuramente seja um pvp bem equilibrado...
e por favor não seja pvp de arena (que certamente vai ser)



KentBeck#1602



A blizzard lançou um jogo que basicamente se resume a farm de item,
estava vendo no stream a galera começa uma quest q logo no inicio tem um mob Amarelo,
bate no bixo ate ficar com pouca vida, troca todo o set para um kit de 100%+ Magic Find Item,
da o ultimo hit, ver o que é melhor, sai do jogo vai no Action house, coloca pra vender...
ai repete tudo denovo...

André Zorzo disse...

Por favor, não comparem Diablo com Skyrim, não tem sentido.

O Rafa ouviu certo, o jogo começa no 60 e pra quem é hardcore vai ser fácil antes disso. Portanto, parem de jogar agora, por que essa é a verdade.

Como que alguém não entende Diablo? É só bater e pegar loot, não tenta imaginar que é alguma coisa diferente.

Secco, realmente, lag em single play é fail, mas isso da outra discussão. =P

Marcelo Martins disse...

Acho que vocês tocaram num assunto importante e, ao mesmo tempo, polêmico. Lógico que uma das principais características de alguns RPGs é ter "liberdade de escolha", inclusive para escolher coisas que vão te prejudicar no futuro.

Porém, como falado, a tendência dos jogadores modernos é não gostar de "perder tempo" no jogo. As experiências estão cada vez mais lineares, fáceis e sem "becos-sem-saída".

Tem público para as duas coisas. Pessoalmente, gostos dos dois tipos de "RPG", desde que o jogo seja divertido. Estou até pensando em jogar Final Fantasy XIII-2 ao mesmo tempo que o Demons Souls. Jogo um diferente a cada dia. Um jogo é muito estressante e o outro é mais "leve". Assim, posso jugar mais tempo de maneira equilibrada e aproveitar bem essas duas experiências.

Rafael Kuhnen disse...

Brusa, a intencao nao foi comparar Diablo com Skyrim, mas sim comparar a forma com que eles tratam a progressao.. pra mostrar o ponto de que pode ter uma progressao bem feita sem ter que escolher stats, e sim so escolher o que importa. Nesse sentido Diablo e Skyrim sao muito parecidos... mas sim, sao jogos totalmente diferentes.. :P

Fabiano Pimenta disse...

Discussão acalorada é que é discussão boa! hahaha

Ótimos argumentos. E, apesar de não curtir a série Diablo, não gosto de jogos que peguem na minha mão até que eu chegue no nível X. Prefiro jogos com personagens e atos/missões que te ensinam sua dinâmica aos poucos, sem ser de uma maneira forçada e depois te chutam para o mundo e batem a porta atrás de você são os meus favoritos.

Skyrim não me pegou do mesmo jeito que o Dark Souls me pegou com suas escolhas decisivas a cada segundo e desafios cada vez maiores a cada nova área. Errou? Livrou-se/vendeu um item importante sem saber? Encare as concequências.

Mas vivemos em tempos de águias que fazem você passar de fase por $0,99. Logo...

Abraço!

Bruno disse...

Ótimo podquest, podquesters! :)
Venho aqui deixar minha opinião...

Diablo 3 ficou simplificado demais. A remoção dos stat points até dá pra entender, chega a ser frustrante em alguns momentos, mas as skills eu realmente não entendi. Eu joguei somente o beta, mas pelo que entendi você sempre tem TODAS as skills a disposição. Cooldown? Que grande coisa! Para mim, a falta da árvore de skills bloqueia demais criatividade do jogador, sem gerar nenhum efeito surpresa. Com a classe X você vai ser X, com a classe Y você vai ser Y, e assim por diante.

O exemplo de você não poder usar certos itens por causa de stats é muito simples, já que isso deve (teoricamente) influenciar outros pontos do personagem, porém essa questão só é frustrante pois o foco dos jogos é quase sempre no nível. Ao passar dos níveis, todos os seus stats se elevam mais lentamente, independente se você os treinou ou não, então se você precisar de alguns ínfimos pontos de algo que você nunca treinou estando em um nível bem avançado, o trabalho será bem maior. Isso é uma penalidade que não concordo, não faz sentido. Em Skyrim (já que estamos falando dele, mas o primeiro exemplo que me vem a cabeça é Ultima Online), a progressão é lenta em certas habilidades apenas se você já possuir experiência nela. Se você decidir treinar outra coisa, o tempo gasto será praticamente o mesmo se você tivesse treinado antes, ou seja: você pode ser um mago espadachim, desde que você invista tempo nisso. Claro, são jogos diferentes, apenas penso que as classes de Diablo 3 não deveriam definir seu personagem de cabo a rabo. Como o Secco mesmo citou, a personalização dos stats ainda poderia existir mesmo com progressão automatizada.

Eu acho muito importante ter um fator "try again" nos jogos. Infelizmente é uma tendência da maioria querer algo cada vez mais automático e facilitado, para atingir as massas e blábláblá... só é uma pena ver uma franquia como Diablo seguir esse caminho.

Sobre um outro ponto de Diablo 3: me parece que a ideia do inventário também foi um pouco invalidada. A grande maioria dos items que eu pegava era 2 slots, mesmo umas armas enormes que eu achei que seriam diferentes. Se é tudo igual, então limita por quantidade logo de uma vez!

E é "só"!
Abraços!

Rafael Kuhnen disse...

No Skyrim voce ganha ponto pra colocar na skill quando passa de nivel, e vc passa de nivel cada vez mais devagar, entao nao eh sempre o mesmo tempo pra subir skills de baixo nivel... Quanto maior for o nivel do teu personagem, mais tempo leva pra aumentar QUALQUER skill... O que vc ta falando eh verdade no Oblivion, nao no Skyrim. :)

Diablo 3 proporciona escolhas o suficiente, conforme voce passa de nivel, voce vai destravando mais habilidades (como em qualquer outro jogo). O jogo limita por quantas habilidades voce pode usar ao mesmo tempo (denovo dependendo do teu nivel). Como voce mistura e comba essas habilidades eh uma escolha tua e da sim espaco pra criatividade. Liberar tudo pro jogador fazer as proprias escolhas eh lindo na teoria, mas nao funciona na pratica.. :P

Fernando Secco disse...

Poxa, ainda bem que depois de 40 anos jogando jogos fazem as proprias escolhas, veio a Blizzard para nos salvar. E eu que achava dual class algo massa no D&d novo, como sou tolo! :p

Anônimo disse...

Cara, esse argumento de chamar os críticos da EA para inovar, não faz sentido. É o mesmo que você reclamar de uma comida e o chef chegar dizendo "cozinha ae então". Não é a obrigação do consumidor saber inovar, ponto. Se uma empresa não sabe como fazê-lo, não deve jogar a culpa ou chamar a responsabilidade nas costas do consumidor, e sim humildar-se e reconhecer as próprias limitações.

Fellipe disse...

Rafael Kuhnen: "Metal Gear é tosco" vc tá louco mermão!? Sam Fisher vai ser o eterno Snake wannabe!

Rafael Kuhnen disse...

Eu so vou discutir isso quando vier um argumento de por que MGS eh um jogo de espionagem melhor que Splinter Cell, e nao so fanboysm de uma franquia que morreu faz tempo e esqueceram de enterrar.. =x

MG pode ser uma serie de acao legalzinha... mas como jogo de espionagem? Eles tem muito o que aprender com a Third Echelon.. ;)

Bruno disse...

Só pra esclarecer algo: o que eu disse sobre as habilidades de Skyrim se refere a progressão que vai até 100. Esse sim é mais fácil quando vc tem menos. De qualquer forma, eu subi muito nível ao treinar skills mais fáceis, consequentemente ganhando mais perks (era esse o nome?).

O Oblivion eu nem cheguei a jogar, só o Morrowind :)

Fellipe disse...

Fala sério hein Kuhnen. Ok, deixando um pouco a paixão pela série de MGS de lado, vou tentar expor o que eu vejo nos dois jogos de uma forma bem breve.
O MGS chegou primeiro como stealth/action e aos poucos foi mudando seu estilo(intencionalmente ou não) no sentido de focar em outros detalhes do jogo. Já o Splinter Cell chegou direcionado em ser um jogo de ação furtiva e ponto.
Com o passar das séries, o MG abre seu mundo para outras vertentes enquanto o Splinter Cell se mantém como um jogo sério e tem seus esforços concentrados em Stealth.

Resumindo, você tem razão em afirmar que SC > MGS no quesito espionagem, porém você é l o u c o em dizer esses absurdos, é um herege. Vocês poderiam fazer um Podquest Especial falando de toda a série da Saga Metal Gear, Hideo Kojima.. :D :D :D

Rafael Kuhnen disse...

HAHAHAHA. Hideo Kojima podi ser um cineasta.. talvez... 40 minutos em uma mesma cutscene? Serio mesmo? Eu quero eh jogar! :P

stdioo disse...

Véi na boa... vcs são muito hardcore e esquecem do público "normal". Cara, pra que cargas d'água vou querer colocar o elmo de um Bárbaro num Mago?! Pra que vou querer que meu Bárbaro saiba fazer feitiços?!

Imagina o tempo que os caras precisariam para produzir essas features?!

Os fdp da Blizzard demoraram 10 anos para fazer esse game, imagina se tivessem que combinar todas essas opções bizarras?!

Sério, se vc quer brincar numa sandbox, vá jogar Skyrim.